A universidade da vida



Templo de Luxor

http://antigoegito.org/arquitetura-egipcia/

''Não existe melhor universidade, do que a universidade da vida. Dentro dela, no grande laboratório universal que se expande criando infinitas possibilidades, aprendemos, evoluímos, e nos tornamos mestres de nós mesmos, basta a isso a força de vontade de ir em frente, abrindo porta a porta, e subindo degrau a degrau''.

 O primeiro princípio das famosas tábuas de esmeralda de Imhotep, conhecido como princípio do Mentalismo, nos ensina que dentro deste grande laboratório universal e vivo, a mente é tudo, e o universo, é mental. Ele também nos ensina em seu segundo princípio, conhecido como princípio da correspondência, como já foi citado no primeiro artigo, que tudo se corresponde no universo, tudo está interligado, e esse ensinamento, se aplica ao micro, e ao macrocosmo.

No antigo templo de Luxor, em Tebas/Egito, que se divide em dois templos, externo, e interno, existem dois provérbios egípcios muito interessantes que podem muito bem serem aplicados a essa linha de pensamento: Um deles, localizado na parede do templo externo, ensina que o corpo é a casa de Deus, O outro, localizado na parede do templo interno de Luxor, contém o seguinte ensinamento: Homem, conhece-te a ti mesmo, assim conhecerás os Deuses. Segundo o que sabemos, o Deus maior, é onipresente, está em toda a parte, daí o segundo provérbio egípcio: Homem, conhece-te a tí mesmo, pois sendo criaturas do criador, e estando ele em toda a parte, logo, somos parte dele mesmo. 

Sócrates, grande filósofo grego, também proferiu a seguinte frase: Conhece-te a ti mesmo, torna-te consciente de tua ignorância e serás sábio. Mais tarde, Platão, Xenofonte, e Aristóteles, contemporâneos de Sócrates, continuaram a empregar esta máxima,

Segundo Pitágoras, outro grande filósofo, o Criador fez duas coisas a sua imagem: Primeiro, ele fez o cosmos com toda a infinidade de sóis, luas e planetas, e depois, fez o homem em cuja composição, existe um universo em miniatura.

Partindo do princípio do templo externo de Luxor citado anteriormente, que nos ensina, que o corpo é a casa de Deus, logo como parte do todo que somos, somos divinos, assim como, tudo no universo, por isso, devemos procurar compreender essa divindade que habita em nós, e na medida em que vamos compreendendo a nós, também vamos compreendendo o todo e suas infinitas possibilidades.

Um outro provérbio egípcio completa o primeiro com o seguinte ensinamento: O reino dos céus está dentre vos, e quem encontrar a si próprio o encontrará. Por mais que esses ensinamentos à primeira vista, pareçam de difícil compreensão para algumas pessoas, devemos lembrar, que o próprio Jesus, em Lucas 17: 20/21, ao ser interrogado naquele tempo pelos fariseus, a cerca de quando viria o reino dos céus, ele respondeu: Não vem o reino de Deus com visível aparência (Provavelmente querendo dizer que o reino não viria com a aparência semelhante, aos reinos que possuíam os reis daquele tempo). E continuou: Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o reino de Deus está dentro de vós. Com esse ensinamento, ele deixa claro, assim como os demais, que para compreender o todo, primeiro devemos compreender o reino que há em nós mesmos, que não é exatamente a semelhança dos que possuíam os reis da terra como já foi dito, mas sim, um reino vivo, complexo, misterioso, e em escala menor, um reino divino em nós mesmos, eternamente atrelado ao todo. 




                    
                                   
SHARE

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário